Siga-nos

Entre em contato +55 11 3197-0320

 

Como a gamificação pode transformar os modelos de treinamentos

LoySci > Gamificação e engajamento  > Como a gamificação pode transformar os modelos de treinamentos

Como a gamificação pode transformar os modelos de treinamentos

Oferecer aos funcionários a possibilidade de adquirir novas habilidades e conhecimento é fundamental para a sustentabilidade financeira de qualquer empresa. O mercado, a tecnologia e a forma de se relacionar com clientes internos e externos vem se transformando a passos muitos largos. Nesse contexto, o treinamento corporativo é uma das melhores estratégias para manter todas as equipes up to date. Por outro lado, esses processos de reciclagem muitas vezes eram considerados monótonos e é nesse contexto que a implantação de estratégias de gamificação em treinamentos faz toda a diferença.

Deixe de lado a ideia de que jogos são coisas para crianças. Basta ver um dos campeonatos de games mundiais, onde adultos, extremamente profissionais, competem e fazem com que a plateia fique vidrada em suas jogadas.  A adaptação desses mecanismos de jogos é que tem feito com que a gamificação em treinamentos mantenha as pessoas atentas e interessadas, por meio de desafios, metas e recompensas.

Mas se engana quem pensa que a estratégia de gamificação em treinamentos é simplesmente transformar as aulas em jogos. Esse novo conceito usa certos elementos de jogos para fazer com o aprendizado seja mais interessante, motivando e aumentando a participação dos alunos.

O objetivo da gamificação em treinamentos é trabalhar três pontos ao mesmo tempo: conhecimento, habilidade e comportamento, aproveitando o espírito competitivo que faz parte da natureza humana. Segundo os especialistas, é surpreendente como as pessoas se sentem motivadas e encorajam suas equipes quando têm o incentivo de subirem posições no ranking da competição.

Para a sua melhor efetividade, todo o processo de gamificação em treinamentos deve ser bem transparente, e o sistema de pontuação deve estar bem claro para cada tarefa ou etapa, com início, meio, fim e objetivos bem definidos.

Além disso, os participantes devem ter a possibilidade, na medida do possível, de personalizarem as suas experiências. No caso de treinamentos com games, os funcionários podem escolher o nome do seu personagem, suas características e também o seu avatar. E quem sabe até escolher qual o melhor horário e local para desempenhar as suas tarefas, assistirem aos vídeos etc.

Levando a realidade para a fantasia

O contexto das tarefas deve estar alinhado ao ambiente corporativo e objetivos da empresa para que os funcionários saibam como agir quando tiverem que enfrentar a realidade do dia a dia, tomando as decisões corretas e analisando as consequências de cada ação.

O fluxo de aprendizado deve seguir uma história, escrita usando técnicas de storytelling, que vai sendo construída a partir da execução de micro tarefas, que levam ao grande objetivo final. No caso, por exemplo, de implantar um treinamento para funcionários do setor de delicatessen de uma rede de supermercados, o jogo pode simular um enredo onde um cliente precisa de informações sobre os produtos – como combinar, como servir, etc.

Os funcionários devem agir quase como mentores e o jogo deve apresentar diversos tipos de consumidores, desde aquele que deseja apenas um petisco para quando for assistir a um filme até um gourmet que quer surpreender seus convidados na próxima festa, situados no real ambiente de um supermercado, com todo o seu burburinho e distrações.

Definindo a premiação

Certamente é preciso premiar os funcionários que mais se destacam nos treinamentos. O valor e tipo de prêmio é que deve ser bem analisado para não criar situações desagradáveis com equipes que não tenham acesso a treinamentos.

Talvez uma boa estratégia seja recompensar os melhores alunos na festa de final de ano, junto com outras premiações, para que nenhuma área se sinta excluída. O importante é que o funcionário tenha a certeza de que será recompensado pelo seu esforço.

Grandes empresas aderem à gamificação em treinamentos

A gamificação pode ser usada em qualquer tipo de treinamento. A montadora Nissan, por exemplo, desenvolve as habilidades das suas equipes de venda com o uso de um jogo eletrônico, onde o vendedor precisa interagir com um cliente virtual em diversos cenários. O jogo, de longa duração, tem como objetivo melhorar a capacidade de se relacionar com os clientes e também aumentar o conhecimento sobre produtos e serviços da empresa.

Nessa estratégia, reconhecimento e premiação são fundamentais e a montadora mantém as pessoas motivadas divulgando o ranking com os melhores jogadores ao longo do processo e a “premiação” do melhor vendedor em um evento.

Já o Grupo Gerdau usa técnicas de gamificação em treinamento aliada à realidade virtual em cursos de segurança. Com óculos 3D e joysticks os participantes “entram” no ambiente de trabalho e vão realizando suas tarefas, evitando erros e acidentes. Durante o treinamento, o funcionário passa por fases e perde pontos caso esqueça de algum requisito de segurança. O supervisor recebe em tempo real o resultado do teste. Se antes esses exercícios de segurança levavam mais de uma hora, agora são realizados em menos de 20 minutos.

Principais benefícios

A gamificação em treinamentos traz diversas vantagens para as empresas e seus funcionários. Entre elas podemos destacar:

Mais motivação – como a competitividade faz parte da natureza humana e é um sentimento saudável quando bem aplicado, explorar essa característica faz com que os funcionários procurem as melhores soluções para um determinado problema e superação de seus limites. Mais motivação também significa mais engajamento nas atividades e com seus colegas.

Menos distração – quando se está motivado e engajado é bem mais fácil e interessante manter o foco na atividade.

Melhor aprendizado – com foco, é mais fácil completar a atividade ou tarefa e, como o ambiente de aprendizado é mais agradável, lúdico e envolvente, todo o conteúdo é melhor absorvido. Além disso, cada um é responsável pelo seu próprio aprendizado, o que faz com que o sucesso seja ainda mais recompensador.

Mais produtividade – e com o foco, superação de limites e sentimento de vitória, os funcionários se sentem mais motivados e são mais produtivos. Todos se sentem mais à vontade para inovar, ousar e colaborar, em um ambiente mais divertido, o que traz uma postura mais assertiva para o dia a dia.

Mais criatividade – para atingir seus objetivos, os funcionários devem usar lógica e criatividade para cumprir as suas tarefas e essa mesma criatividade pode ser usada no dia a dia encontrando soluções mais eficientes para pequenos e grandes problemas.

Maior interação – como a gamificação em treinamentos envolve diversos funcionários, a interação entre essas pessoas flui com mais facilidade, já que todos começam a comparar seus desempenhos, trocar ideias sobre estratégias e compartilhar informações. Além disso, essa socialização vai além das equipes iniciais, com a publicação de notícias sobre os treinamentos na intranet da empresa, incentivando outros funcionários a se juntarem ao grupo.